Ir para conteúdo principal
Entrar E-books & etc

Os diferentes tipos de convidados

Postado dia 24 de junho de 2016 por Nathalia

Na última edição da revista, a colunista Emanuelle Missura descreveu os tipos de convidados que passam pelas festas de casamento sob o ponto de vista da cerimonialista. Achei ótima a ideia. Os DJs também costumam ter uma relação bem peculiar com os convidados, seja interagindo à distância, somente através da música, seja diretamente. Então, aqui vão os tipos de convidados na visão de um DJ e como eles podem interferir positiva ou negativamente no andamento da festa.

O convidado educado

Respeita o trabalho do DJ e, quando quer interagir, seja para pedir alguma música, seja para fazer algum comentário, espera o momento em que o DJ não esteja fazendo a mixagem, dá boa noite e, quando quer pedir música, fala “se for possível, eu agradeço”. Quando é possível, pode ter certeza de que o DJ toca com prazer.

O convidado dissimulado

É aquele que vem logo com o papo de que “o som está ótimo, mas… você não pode tocar a música ‘tal’?”. Nessa hora, o DJ logo se toca de que o elogio é tão sincero como uma nota de 3 reais, pois, no fundo, o que o convidado quer é que o DJ toque a música que ele pediu.

O convidado apressadinho

“Você pode tocar a música ‘tal’?”. Se o DJ responde que vai tocar mais tarde, ele não vai hesitar em recorrer a todos os artifícios para ouvir logo sua música predileta. Fala para amigos diferentes pedirem a mesma música a cada dez minutos e, se não der certo, apela para mentira: diz que está indo embora em cinco minutos – isso, às vezes, com a festa ainda na metade.

O convidado “sabe com quem está falando?”

Antes mesmo de o DJ dizer se pode tocar ou não a música pedida, o convidado “sabe com quem está falando?” vai logo dando uma “carteirada”, dizendo que é um parente próximo ou o melhor amigo do noivo ou da noiva.

O convidado feliz

É aquele que sabe que não está pagando pela festa, que está comendo e bebendo do bom e do melhor de graça, ouvindo boa música entre amigos, então, ele simplesmente relaxa e aproveita cada minuto na pista de dança. Só interage com o DJ no final, para elogiar, agradecer e pedir o cartão.

O convidado mala

Ele esquece – ou não sabe – que o trabalho de DJ consiste em trocar a música, em média, a cada 3 minutos, e que, no intervalo entre uma e outra, o DJ precisa pensar na melhor música para mixar, escutar no headphone se ela encaixa e preparar a mixagem. Ou seja, resta pouco tempo livre. Mas o convidado mala quer ficar puxando papo, às vezes querendo uma aula na hora de como funciona o equipamento do DJ, onde compra, quanto custa etc.

O convidado bêbado

O bêbado representa o maior perigo para o DJ. Ele pode se apoiar, sem querer, na mesa em que está montado o equipamento do DJ e derrubar tudo no chão; ele pode ficar, insistentemente, pedindo o microfone para “prestar uma homenagem aos noivos” e cortar todo o clima da pista; ele pode se tornar agressivo para impressionar a namorada/esposa (“toca essa música aí porque é a minha mulher que quer ouvir!”), ou porque nessas horas é que a arrogância aflora e muitos se tornam violentos e ameaçadores, verdadeiros pitboys.

O convidado DJ

Vem logo se apresentando: “eu também sou DJ”. Fala sobre o equipamento (“já viu o lançamento XYZ da Pioneer? Eu tenho!”) e, depois, começa a dar palpite no repertório (“toca essa que tem batida semelhante à que você está tocando, depois emenda com aquela outra”).

O convidado conectado

Não troca uma palavra com o DJ. Digita o nome da música que ele quer ouvir no celular e cola o visor na nossa cara. Saudade dos tempos em que se pedia música anotando em um guardanapo…

Enfim, isso é para você entender que a maior virtude de um DJ, além do talento, é a paciência. Mas, felizmente, os educados e felizes são a grande maioria e se, ao final, os noivos ficaram satisfeitos, é sinal de que valeu a pena.